quarta-feira, agosto 24, 2005

As presidenciais do PCP

O PCP escolheu Jerónimo de Sousa para candidato à Presidência da República. Esta opção pretende ter um duplo impacto. Por um lado, o PCP aproveita para continuar a familiarizar o eleitorado com o novo SG. Em segundo lugar, tenta aproveitar o capital de simpatia conquistado por Jerónimo de Sousa durante a campanha para as últimas eleições legislativas.
O lado negativo desta estratégia, e que o PCP devia ter previsto, é que esta escolha representa um reforço do cenário revivalista das candidaturas à PR. Sobretudo, o resultado prático vai ser um desgaste ao qual o PCP se podia ter poupado, sabendo, como sabe, que a imprensa e os canais televisivos não são propriamente os seus melhores aliados e que o tema da incapacidade de renovação partidária está na ordem do dia. Com esta escolha, o PCP acabou por perder uma boa oportunidade para inovar e marcar a diferença.

2 Comments:

At 1:28 da tarde, Blogger mfc said...

O mal que afecta o PC é similar ao dos outros partidos do sistema.
Pouca ou nenhuma imaginação/modificação de comportamentos... são recidivos nas suas opções.

 
At 12:15 da manhã, Blogger a torres ferreira http://atorresferreira.hi5.com said...

eu era para fazer aqui um comentário mas lembrei-me que o Mário Soares é um factor exemplar da renovação que há nos outros partidos.

 

Enviar um comentário

<< Home